Sabe quais os maiores factores de risco para Colesterol Alto?

O organismo precisa de colesterol para funcionar corretamente. No entanto, quando as quantidades de colesterol não estão dentro dos valores considerados adequados para o bom funcionamento do metabolismo corporal, pode aumentar o risco de um indivíduo de desenvolver doença cardíaca.

Existem vários fatores que contribuem para o colesterol alto: alguns são controláveis por recurso a medicação e, em algumas situações até através da simples alteração de hábitos de vida. Outros fatores requerem uma atenção mais especial e muito estudo.

Fatores de risco controláveis com alteração de hábitos ou medicação suave

  • 1. Dieta – As gorduras trans, gorduras saturadas, açúcar e, em menor grau, colesterol nos alimentos podem aumentar os níveis de colesterol total e LDL.
  • 2. Peso – Excesso de peso pode fazer subir o nível de colesterol LDL e diminuir o nível de HDL.
  • 3. Atividade física/exercício – Aumento da atividade física ajuda a diminuir o colesterol LDL e aumentar os níveis de colesterol HDL (o “bom” colesterol). A prática de exercício regular também tem impacto na perda de peso.
  • 4. Tabagismo e alcoolismo – Se até há bem pouco tempo não existiam evidencias cientificas de que o tabagismo tinha um impacto direto nos níveis de colesterol, o mesmo já não se pode dizer hoje em dia. Estudos recentes demonstraram que os ex-fumadores possuem perfis de colesterol melhorados. O aumento nos níveis de colesterol “bom” vem com o abandono do vício, ao mesmo tempo que a permanência no hábito de fumar
    reduz o colesterol “bom” (HDL) e aumenta o colesterol “mau” (LDL).

Estes dados são importantes pois lançam uma importante luz entre tabagismo e doença cardiovascular.

Mais estudos serão necessários, uma vez que não está clara a relação entre a cessação do tabagismo e o mecanismo de alteração dos níveis de colesterol. Existem alguns indícios de que possam estar a ocorrer mudanças nas proteínas que controlam a distribuição de colesterol durante a ingestão e inalação de fumo.

Fatores de risco que merecem análise mais aprofundada

  • 1. Sexo – Após a menopausa, o nível de colesterol LDL de uma mulher (colesterol “mau”) aumenta, assim como o risco de doença cardíaca.
  • 2. Idade – O risco de vivenciar alterações nos valores de colesterol aumenta à medida que se envelhece. Homens com 45 anos ou mais e mulheres com 55 anos ou mais, estão em risco aumentado de colesterol alto e doenças cardíacas.
  • 3. Antecedentes familiares – O risco de colesterol alto pode aumentar se um pai ou irmão tiver sido afetado por uma doença cardíaca precoce (antes dos 55 anos) ou uma mãe ou irmã tiver sido afetada pela doença cardíaca precoce (antes dos 65 anos).
  • 4. Doença hepática ou do rim – O fígado exerce mais de 200 funções no nosso organismo, sendo a síntese de colesterol uma das mais importantes. Se existe algum problema no normal funcionamento do rim, é provável que todos os índices relacionados a gorduras no sangue sofram alterações com consequências diversas.

Como reduzir o colesterol e o risco de doença cardiovascular?

Algumas pequenas medidas são muito úteis e podem ter um efeito bastante acentuado a curto prazo. Contudo, a redução de colesterol é um processo que requer atenção médica constante e muita paciência. Confira algumas medidas que podem ser levadas em consideração imediatamente!

  • Reduzir o consumo de alimentos ricos em gorduras saturadas e colesterol, incluindo produtos animais, nomeadamente carne vermelha e produtos lácteos não desnatados.
  • Praticar exercício físico regular
  • Deixar de fumar
  • Tomar a medicação prescrita pelo médico

Informação em:

Esta entrada foi publicada em Colesterol. ligação permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *