Colesterol: o Bom, o Mau e o Vilão

Dos muitos mitos urbanos que circulam hoje em dia, há uma ameaça em particular de que muito se fala, mas ninguém consegue ver. É um agente infiltrado, silencioso, que ganha terreno metodicamente, e se não for detetado e estrategicamente combatido, pode revelar-se perigoso ou mesmo fatal. Falamos do colesterol. Contudo, como em todas as histórias, existe o bom, o mau e o vilão.

O colesterol é produzido pelo nosso corpo. Quando falamos em corpo e gordura, a imagem imediata que se forma na cabeça é de alguém bem rechonchudo, cheio de curvas, contracurvas e pneus, que só consegue comprar roupa na secção de tamanhos grandes.

No entanto, a gordura é tão importante para a saúde e para o bom funcionamento do organismo como o óleo para o bom funcionamento de um motor. A questão é conta, peso e medida, porque o que é bom, em excesso pode tornar-se mau.

Visto que o corpo humano produz a sua própria gordura e esta também está presente nos alimentos, convém saber escolher a ementa, pois o aumento dos níveis de colesterol faz com que ele se comece a acumular nos órgãos e artérias, o que a longo prazo pode causar danos de funcionamento e de circulação, por outras palavras: um engarrafamento!

A atividade física regular ajuda a contrabalançar os excessos e a restabelecer o equilíbrio (nota: esqueça o elevador e quando estacionar, faça-o a um ou dois quarteirões do destino: a soma de pequenos passos como estes tem o seu peso no resultado).

Se contudo realmente não é fã de exercício e não abdica dos prazeres da boa mesa, lembre-se que este agente não se faz anunciar, trabalha nos bastidores e quando desfecha um golpe, pode ser difícil apará-lo.

Sim, comer é um prazer, mas o mesmo não se pode dizer de um AVC, uma das formas mais frequentes do colesterol lhe dizer que já é tarde e agora “aguenta-te…. Sabendo que esta ameaça existe e está apenas nas suas mãos evitá-la, quem é que nesta história é o verdadeiro vilão?

Ao longo da sua vida adulta, pode e deve fazer um controlo regular dos níveis de colesterol através de análises, pois ele não é detetado de outra forma.

Está também nas suas mãos escolher uma alimentação saudável e exercitar-se com regularidade, não apenas por uma questão de elegância ou aparência, mas por uma questão de saúde e bem-estar.

Em resumo: para dominar esta ciência não é preciso ser-se um tolo ou um génio, nem arquitetar um plano extremamente elaborado, bastam apenas e somente dois amigos: você e o seu corpo.

Esta entrada foi publicada em Colesterol. ligação permanente.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *